Skip to main content

poliTICs 01 - julho 2008

Versão para impressãoSend by emailVersão PDF

poliTICs 01

A ideia de que a Internet deve ser entendida como um bem público, oferecida como um serviço universal e assegurada como um direito tem sido defendida nos mais diversos fóruns. O conceito de Internet para todos ganha, pouco a pouco, perspectivas que aprofundam a concepção do que deve ser acesso universal e incorpora debates sobre a qualidade do acesso, a velocidade, os modelos de conexão que realmente favorecem o desenvolvimento econômico, social e cultural das sociedades e a criação de ambientes propícios para o empoderamento das pessoas, com foco na construção de novas capacidades e entendimentos sobre a Internet e suas potencialidades.

Neste primeiro número da revista poliTICs, um grupo de pesquisadores, acadêmicos e ativistas no campo das tecnologias de informação e comunicação para o desenvolvimento apresenta suas visões sobre o desafio de promover uma Internet que seja, de fato, para todas as pessoas. Uma analogia entre a estrutura da ‘cadeia alimentar’ e o complexo esquema de formação dos preços para conexão à Web é a base do artigo de Carlos Afonso, que abre esta edição. Assim como c.a., Gustavo Gindre também analisa o tema dos custos de interconexão, mais focado no contexto regulatório. As experiências bem sucedidas da RNP, do projeto PTTMetro e de projetos de infovias municipais – apresentadas aqui por Nelson Simões; Antonio M. Moreiras e Demi Getschko; e Leonardo de Souza Mendes, respectivamente -, mostram que não faltam no Brasil modelos tecnológicos e capacidades para democratizar e otimizar a conexão à Internet, bem como reduzir seus custos. Já a pesquisadora indiana Anita Gurumurthy colabora com esta edição oferecendo um olhar crítico às políticas de TICs, ressaltando a necessidade de uma reflexão aprofundada sobre o que estas políticas trazem de avanços para o desenvolvimento humano e social, especialmente no que diz respeito à busca por equidade de gênero e justiça social para mulheres e homens, igualmente.


Esperamos que você aprecie a leitura, participe e opine.

Um abraço,

Graciela Selaimen
Editora da poliTICs


--->